25 maio 2009

É fartar, vilanagem...

Quando os contribuintes britânicos souberam, recentemente, que andavam a pagar as despesas mais absurdas a alegres parlamentares de todos os partidos, ficaram furiosos. De facto, desde camcorders, ipod's, serviços de jardinagem, mobílias, portões, plasmas, gravadores de DVD, tudo cabia no cesto básico que os parlamentares britânicos achavam que não devia sair do seu bolso. Já para não falar das trafulhices com os subsídios de alojamento com declarações dúbias sobre o verdadeiro endereço de diversos deputados que lhes permitem empochar mais uns milhares por ano.
Gordon Brown e o lider da oposição já pediram desculpa em nome dos partidos, o presidente do parlamento já se demitiu, vários deputados estão suspensos e aguardam-se desenvolvimentos. Espera-se que alguma coisa mude. Os danos à imagem pública da democracia são, no entanto, dificilmente mitigáveis com a opinião pública a manifestar-se claramente chocada e a apelidar de ladrões - assim, sem paninhos quentes - os representantes democraticamente eleitos ao parlamento.
Esperemos que à ética do regabofe se siga uma outra um pouco mais séria e comedida. Nem que seja só enquanto a crise económica lança diariamente milhares para o desemprego e para a miséria. Vá, tenham paciência. É só até à retoma...

4 comentários:

PAULO LONTRO disse...

Aconteceu exactamente o mesmo cá em Portugal, os deputados que há um par de anos faziam Viagens por nossa conta para eles e família também se demitiram todos e repuseram os valores em causa...
foi assim não foi...?
Ai não...?
De certeza...?
Pensei mesmo que assim tinha sido...!!!

Maldonado disse...

Pelo menos na Inglaterra faz-se barulho e toma-se as devidas providências enquanto que aqui casos dessa natureza são logo abafados... :(

roserouge disse...

Tal e qual. Aqui é que é mesmo o tal "é fartar, vilanagem..." Roubas hoje aqui e amanhã dão-te um cargo de gestor público a ganhar uma salário obsceno que é para não ficares tristinho...

astracan disse...

Será mesmo assim tão diferente?
Os políticos ingleses vão agora entrar na linha? Acreditam nisso? Eu não.