17 setembro 2007

Aqui d'el Rei que libertam o Cabo Costa

Quando o novo CPP entrou em vigor no ultimo Sábado, assistiu-se a um ataque cerrado de algumas pessoas ligadas à investigação criminal, chegando a ser dado o exemplo do serial killer de Santa Comba Dão, que seria libertado dentro de dois meses caso a Relação de Coimbra não apreciasse o recurso neste prazo. Afinal, diz quem já leu o documento, a Relação tem até ao fim de 2008 para decidir, e se confirmar a sentença, mesmo que haja recurso para o Supremo, o prazo de prisão preventiva alarga-se a metade da pena (neste caso metade de 25 anos).
Eu percebo que as polícias e os senhores juízes gostassem de ter os arguidos todos à disposição, a bom recato, o tempo que fosse necessário para efectuarem as diligências com toda a calma e tomarem as doutas decisões ainda com menos pressa. Mas acontece que começamos a achar que absolver alguém ao fim de 3 anos de prisão (mesmo preventiva...)com um "vá lá p'ra casa que afinal o juiz é um gajo porreiro" já não pega num país civilizado.

3 comentários:

expressodalinha disse...

Tb. acho que tem havido muita desinformação e/ou falta de conhecimento concreto do doc.. Mais uma vez, não há informação adequada e atempada. E isto é inabilidade política do governo, que agora corre "atrás do prejuízo" e, quiçá, ahabitual arrogância.

ortega disse...

Os jornalistas são abutres à coca do escândalo. Se o governo não informa, fica tudo em pânico. A minha mãe (83 anos) dizia ontem que ficou com medo de sair à rua. Tentei tranquilizá-la dizendo que me parecia uma história mal contada.

expressodalinha disse...

Por uma vez não estou de acordo. Certo que os jornalistas são uns abutres. Mas, neste caso quem tem vindo a público são directa e pessoalmente os bastonários da Ordem dos Advogados, o sindicato dos juízes e dos magistrados do MP e a própria proguradora-geral adjunta, a inefável Morgado. Só ainda não ouvimos os presos (falha absolutamente lamentável dos jornais). Com toda esta luta de corporações, a culminar um mês de sucessivos assaltos, só mesmo um governo arrogante ou cobarde, já não sei, é que prefere não se atravessar e deixar o marfim correr. Até foi a AR que aprovou...!