14 fevereiro 2009

Peter Gabriel manda os Óscares dar uma volta...

Peter Gabriel, o genial cantor e compositor que integrou a primeira fase (aquela que vale a pena...) dos míticos Genesis, tem uma canção que, por uma razão qualquer que não percebi, é candidata a um Óscar. Ora, os americanos, habituados a liofilizarem, simplificarem e normalizarem tudo sem terem de prestar contas a ninguém, excepto à indústria publicitária, decidiram que a canção do Peter seria encurtada para 65 segundos que era para caber melhor naquele frenesim de vaidade e humor duvidoso que é o espectáculo dos Óscares. Pois bem, o bom do Peter Gabriel já explicou que tem idade, estatuto e sobretudo carácter para não alinhar em palhaçadas e, portanto, têm de escolher outro que se sujeite à falta de respeito para com a sua obra. Com ele não contem...

2 comentários:

roserouge disse...

Boa, Peter Gabriel. Eu só podia mesmo gostar dum gajo que se vestia como vestia nos seus concertos no tempo dos Genesis - os tais que valiam a pena. Assim mesmo é que é. Palminhas ao Gabriel, clap, clap, clap!

expressodalinha disse...

Estou com ele. Embora, a bem dizer, se tivesse uma canção naquelas condições queria lá saber dos 65 segundos! E isto faz toda a diferença entre um mito em tótó (que sou eu, claro).