17 setembro 2008

Perder a fé...

Se eu fosse um daqueles marxistas que consideram este um livro sagrado e uma revelação divina, perderia, a partir de agora , a fé : é que está mais que provado que Marx não tinha razão : O maior inimigo do capital não são as massas trabalhadoras a cumprirem a sua função histórica de luta de classes. O maior inimigo do capital é a ganância infinitamente estúpida dos capitalistas...

10 comentários:

Anónimo disse...

Na minha terra, é costume dizer-se, que os pobres têm muita sorte e que há uma doença que nunca os atinge: a falta de apetite.

1-Para falar de solidariedade e ir ao baú das fantasias pequeno-burguesas desenterrar Lech Walesa... choca-me, pela ignorância histórica e o despudor, com que se tratam certos assuntos.

Varsóvia é um espanto, não fossem aqueles comunistas, não teria existido II Guerra Mundial. O mundo teria sido perfeitinho a leste, como na linha saloia.
Estamos todos de parabéns, os gémeos e a mãezinha tomaram conta do estaminé e Lech Walesa, esse símbolo da democracia e liberdade, nas eleições de 2000, não conseguiu mais de 1% dos votos.

Que imbecilidade, contarem histórias da carochinha, para continuarem de olhos bem fechados.

2-Relativamente ao Banco Alimentar, acho pouco sério (no mínimo!) misturar AMI com gente interessada em perpetuar a sopa dos pobres. Já averiguou as origens desse Banco Alimentar, sabe quem é que está a alimentar?

3-No global, no que diz respeito a certas mentalidades, que eu só posso adjectivar de saloias (do género daqueles vinhos a martelo que, se for preciso, até tomates são misturados com uvas), tenho a dizer: a LUTA CONTINUA!

Agarrem-se bem, ao serviço vista alegre, porque no próximo 25 de Abril, não terão tanta sorte.


Sempre defendi que, em todas as revoluções, têm que fazer-se os julgamentos. Fascistas, filhos de fascistas, bufaria e pides coniventes com as atrocidades cometidas no Estado Novo, mereciam o balde higiénico e a privação da liberdade, para saberem o que custou, a alguns.

É por estas e por outras, que estamos, como estamos: sem memória e contaminados pelo insucesso escolar. Je suis désolé.


Tânia

PS1- à menina malcriada que me chamou estalinista e azeda, tenho a dizer-lhe, no dia em que chegar ao meu dedo mindinho, piso-a, como faço com as formigas.

PS2- Alcantarilha, eu também tenho sempre, o meu exemplar à mesa de cabeceira. Inspira-me.

Al Kantara disse...

Cara anónima Tânia :

1 - Os sindicatos e os movimentos das massas trabalhadoras não servem só quando achamos bem...

2 - Quanto ao Banco Alimentar, conheço perfeitamente as suas origens e a sua ligação à Igreja Católica. O que, por ser ateu, me deixa ainda mais à vontade para louvar o trabalho desinteressado de quem dá o seu tempo numa perspectiva solidária muito longe da sopa dos pobres e da "caridadezinha" a que se brincava no antigo regime. Não me faz nenhuma impressão que sejam conservadores católicos a fazer um trabalho social válido e a minorar problemas imediatos que os políticos não podem, não querem ou não sabem resolver.

3- Quanto ao mais, não tenho Vista Alegre a que me agarrar nem me pesa na consciência nada que me faça temer revoluções, julgamentos de fascistas, pides, etc.

expressodalinha disse...

Não tenho pedalada para estas conversas!

roserouge disse...

É muito à frente!

Tiago Moreira Ramalho disse...

Há alguém sem ambição Al? O que é senão ganância a reivindicação de maiores ordenados e de diminuição disto e daquilo? Todos somos gananciosos, é por isso que ainda cá andamos...

Candimba disse...

Tânia junto-me á tua luta global contra os vinhos atomatados! Com franqueza... Se não me alertasse continuava sem saber de onde vinha a azia.

Já agora acrescenta-se um cartaz

rolhas sim roscas não!

Al Kantara disse...

Tiago : O que separa a ambição da ganância é o mesmo que separa uma constipação da tuberculose...

PS - Tens razão numa coisa : É preciso cuidado para que uma constipação não se transforme em tuberculose...

astracan disse...

Tiago Moreira: Ganância é ganância. Tem um valor próprio, implica desejo doentio de quantidade, de grandeza. Neste caso é de dinheiro. Melhores ordenados, muitas vezes apenas o desejo de condições de vida dignas não podem ser considerados aspirações gananciosas. Não é tudo o mesmo. Um amigo meu não joga no totoloto, euromilhões, etc. porque, diz ele, já tem uma vida confortável e não a quer estragar. Pessoalmente, satisfazer-me-ia com o dobro do que ganho.

Tânia: Eu não esmago formigas, de propósito pelo menos. Aprecio muito o seu(seu delas) sentido de colectivo. Tenho a dizer-lhe também que a sua obstinação com os "betinhos" deixa transparecer um certo ciúme(acho que não preciso de licenciar-me em psicologia para o afirmar). Para terminar, aconselho-a a passar a cassete para cd que este sempre dura mais uns anos e aquela já está bué da gasta.

PDuarte disse...

claro que isso também Eça o dizia poucos anos depois de Marx.
só que ele estendia as culpas aos politicos e aos intelectuais, principalmente aos pseudo.

Al Kantara disse...

Oh pduarte, eu nunca duvidei que o caro tenha lido Eça...