24 novembro 2008

O Vaticano perdoou-lhe ontem...

Aqui há mais ou menos 40 anos, num dia em qua a erva tinha níveis de tetrahidrocanabinol invulgarmente elevados (ou tinha fumado em jejum, não garanto, sei que lhe caiu na fraqueza...), John Lennon afirmou publicamente que os Beatles eram mais populares que Jesus Cristo. Cruzes canhoto t'arrenego oh herege, foi a reacção histérica da igreja católica (e das protestantes, já agora, também não escapam...), com autos de fé e queima de discos a nível global, a lembrar os melhores e saudosos tempos da inquisição purificadora.
Pois não é que ao fim destes anos todos, o Osservatore Romano (o Pravda do Vaticano...) resolveu fazer um artigo laudatório da musica dos Beatles, com palavras de compreensão pela afirmação produzida pela gabarolice e exibicionismo de um jovem das classes trabalhadoras, subitamente deslumbrado pelo êxito repentino ?
Oh pá, ainda bem, com estes sinais de abertura, daqui a 40 anos talvez a Rádio Renascença deixe de ter index e possa passar a musica do Zeca Afonso...

4 comentários:

sôdona.leide disse...

epá... mas quem é que ouve a rádio renascença?

roserouge disse...

o Vaticano, se calhar deve ouvir...

expressodalinha disse...

O John pôs-se a jeito. Teve sorte que a Inquisição já era...

astracan disse...

E a coroa, já lhe terá "perdoado" ter-lhes dito no RAH que, enquanto as pessoas "normais" batessem palmas, o camarote real podia chocalhar as jóias?