23 setembro 2009

Recebi uma simpática carta...

...assinada pela sô dona carla sofia farinha, chefe de serviço do instituto nacional de estatística que me informa que vai ser realizado um inquérito nacional sobre não sei o quê da mobilidade, que irei ser contactado pessoalmente por um técnico e que, trimestralmente (não sei por quanto tempo...), ser-me-á solicitada telefonicamente informação sobre as minhas deslocações nesse período. À laia de incentivo, informam-me que "Nos termos da Lei do Sistema Estatístico Nacional, a resposta aos inquéritos do INE é obrigatória".
Consultada a tal Lei do Sistema Estatístico Nacional, verifico que, se por aversão às imposições legais absurdas ou por um eventual princípio de não fornecer informações privadas, resolver não responder ou desatar a inventar idas ao Jardim Zoológico, viagens de recreio a Famalicão ou deslocações a Ciudad Rodrigo para consolar uma imaginária amante espanhola, incorrerei numa contra-ordenação punível com coima que irá de 250 a 25.000 euros. Estou num dilema...
PS - Já agora, e já que o legislador o não faz, gostaria de solicitar aos serviços do instituto nacional de estatística em geral e à sô dona carla sofia farinha em particular, o distinguido favor de me considerarem um cidadão da república e não um súbdito do reino transformado em respondente por obrigação legal...

2 comentários:

Anónimo disse...

Não me digas que para além do "perguntador" haverá ainda um "fiscalizador de trajectos".
Não me parece Al...
Aquando do questionário guarda uma distância de segurança ao funcionário(a)não vá ele(a) colar-te um "chip" invisível, na nuca, para posterior localização com GPS...

PAULO LONTRO disse...

Parabéns !
Foste "o escolhido", que honra.
lol...
:)