31 outubro 2008

Quaisqueres, oh Vasco?...

Que o Vasco Pulido Valente fale com uma voz arrastada e desconexa enquanto debita uns lugares comuns que a diletância intelectual lhe permite pensar que valem uma análise lúcida da realidade política, ainda vá que não vá...agora que a voz arrastada e pastosa lhe deixe escapar um "quaisqueres" que ninguém me contou porque eu ouvi...com isso é que já não posso. Até se me arreganha o prepúcio !...