23 outubro 2008

Afinal vai-se a ver e é isto...

Algum tempo após a morte de Jorg Haider, líder da extrema-direita xenófoba, racista e homofóbica austríaca, o seu porta-voz e delfim Stefan Pretzner veio dar uma entrevista em que abriu o coração e confessava o desgosto pela morte prematura de Haider, segundo ele, o "homem da sua vida" com quem mantinha uma relação que "ia muito para além da amizade", à qual a viúva Claudia não se opunha. Logo o partido a que pertence o demitiu e afastou dos cargos que detinha porque, para a direita em geral, ser homossexual só não faz mal desde que não se fale disso e se aparente ser um bom chefe-de-família, assim mais ou menos à maneira de alguns amaneirados chefes nazis...
Não há direito. A malta a pensar que isto de homossexuais era com a ILGA, a OPUS GAY e o Bloco de Esquerda e que estes eram uns tipos bem casados, com filhos (às vezes com famílias numerosas...), às direitas, e no fim vai-se a ver e é isto. Caramba, já nem nos cabeças rapadas podemos confiar...

2 comentários:

sôdona.leide disse...

então não é que o rapaz tinha medo do escuro! está explicado... a amizade!

realmente

Anónimo disse...

Eu embirro um bocadinho com estes maricas, que fazem ginastica e enganam a familia.

Alias, no geral, a homossexualidade entristece-me, mas quando e colorida, ainda va, agora assim, com suasticas em pano de fundo... nao posso.

Tania