24 outubro 2008

A luz das escadas está fundida...

Após interrogatórios policiais nocturnos sem a presença de advogados, acontece alguns arguidos caírem pela escada abaixo e ficarem neste estado deplorável. Certamente que a luz da escada está fundida , até porque nunca os arguidos tropeçam quando os interrogatórios são diurnos e na presença de advogado...

4 comentários:

PAULO LONTRO disse...

E não é que mesmo uns minutos antes as empregadas da limpeza tinham encerado essas mesmas escadas... há pessoas com azar!

roserouge disse...

Ela matou a filha e fez desaparecer o corpo com requintes de malvadez porque a miúda a apanhou na cama com o próprio irmão. Tudo isso ainda foi pouco.

PAULO LONTRO disse...

roserouge, concordo contigo, tudo que ela vier a sofrer é pouco.
Mas será que estás a sugerir que os polícias depois de lhe sacarem à cacetada a confissão ainda lhe deveriam dar um arraial de porrada depois?
E será que não a poderiam fuzilar logo de seguida?
Afinal o que ela fez foi tão mau que merecia a justiça imediata, é isso que estás a sugerir?
Não estou a fazer-te um juízo de valor, estou só a tentar entender o teu comentário…

Al Kantara disse...

Roserouge: Por mim, ela pode matar a filha, comer o irmão, o cunhado, o amante e mais a puta que a pariu : temos um sistema penal que a deve julgar e condenar (ou absolver) de acordo com as regras que nos protegem (A TODOS) da prática de tortura por parte das forças policiais. Portanto, é por motivos (também) egoístas que eu me insurjo contra esta cultura que acha bem que, em determinadas circunstâncias, a polícia possa agredir quem quer que seja, pese embora a minha antipatia pessoal pela personagem agredida. É que qualquer um de nós, mesmo sem matar a filha ou comer o irmão, pode de repente estar, por uma confusão qualquer, numa situação a ser interrogado por polícias que acham ter legitimidade para arrear nos cornos. E isso não me apetece nada...