01 abril 2008

Jaime Gama não tomou as gotas e o jet lag também o confundiu

Jaime Gama, Presidente da Assembleia da República Portuguesa, foi à Madeira declarar, entre outras coisas, que a Madeira tem em Alberto João Jardim «um exemplo supremo na vida democrática do que é um político combativo», não regateando elogios à "obra ímpar" do soba madeirense.
Em privado, ter-se-á arrependido por não ter tomado as gotas que, sob receita médica, o impedem de dizer disparates.
Alberto João, num rasgado gesto de magnanimidade democrática, já mandou eliminar o nome de Gama da lista dos "cubanos do contenente". A partir de agora, passa a ser quase madeirense...

Nota: Os socialistas madeirenses ainda estão a babar-se de aparvalhamento, sem conseguirem perceber o que se passou...

4 comentários:

expressodalinha disse...

Não estás a perceber. Ele estava a tentar um pacto de regime.

ortega disse...

Não vou comentar a viagem do Gama à ilha do aborto mas apenas afirmar que ainda estou vivo, apenas andei desaparecido na sequência de uma trombose informática, quiçá, provocada por um virus que descuidadamente terei acolhido algures. Vejo que continuas de navalha afiada. fiquei surpreendido por saber que eras um betinho da linha sempre acompanhado por tias mas no fundo um comunista empedrenido em fase de negação.

Al Kantara disse...

Oh, caríssimo Ortega, bem vindo novamente às lides. Quanto às minhas convicções ideológicas, vê lá tu o que são as más companhias. Entre comunista empedernido em fase de negação e betinho
a-(linha)-vado por tias, cá ando nestas contradições pequeno-burguesas que me atormentam. Enfim, não se pode ter tudo...

António P. disse...

Bem reaparecido ORTEGA.
Quanto ao betinho, empedrenido e ex-comunista ( ou será ao contrário ) continua em boa forma e dá pelo nome de Al-Kantara, simplesmente.
Abraços