06 dezembro 2008

O Rangel foi chamado à directora...

Dos 75 deputados do PSD, 37 faltaram à votação de uma proposta do CDS-PP com vista à suspensão da avaliação dos professores. Ora, acontece que essa proposta foi rejeitada por apenas 22 votos, pelo que, pelo menos teoricamente, se os deputados do PSD estivessem presentes como era sua obrigação, o resultado da votação poderia ter sido outro.
Foi o que enfureceu a pitonisa da Lapa (que às vezes sabe fazer contas simples...) que prontamente mandou chamar o presidente do grupo parlamentar para lhe puxar as orelhas. Rangel tentou desvalorizar mas não conseguiu disfarçar a incomodidade de aluno em falta chamado à mestre-escola...

15 comentários:

expressodalinha disse...

Foi o fim de semana prolongado...

Al Kantara disse...

Eh pá, isto de votações não podia ser por sms ?...

expressodalinha disse...

Olha lá, tens alguma coisa a ver com a "Valor Alcântara"?

astracan disse...

Por acaso não apanháste num telejornal, não fixei em que canal, um comentário breve e ao correr da pena, que também iam ser debatidos, na sessão da "debandada", assuntos relativos ao caso BPN?

astracan disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

«O editorial do Público de hoje, de José Manuel Fernandes, tem o seguinte título «O triste espectáculo que dão os nossos deputados (e não só) e é logo acompanhado do seguinte destaque: «Ontem foi mais um dia triste para a nossa democracia parlamentar. E um dia mau para a imagem dos políticos».
Vai-se a ler do texto do editorial e descobre-se que afinal expressões tão generalizadoras e catastrofistas se reportam ao facto concreto de, na votação de propostas sobre a avaliação de professores, terem faltado «40 % [ou mais ?, pergunto eu] dos deputados do PSD».

De caminho, presto gostosamente a informação que dos deputados do PCP apenas faltou um e por motivo de doença.

A questão que se pôe, e ponho-a há décadas sem qualquer resultado, é simplesmente esta: se a falta foi de 40% dos «deputados do PSD» porquê estas alusões e acusações dirigidas genericamente aos «nossos deputados», à «nossa democracia parlamentar» e à «imagem dos políticos» ?.
Será para consolidar ainda mais essa ideia errada, falsa, viciosa e, no fundo, cobarde (porque traduz uma demissão do juízo crítico e do apuramento da verdade), de que «eles são todos iguais»?.
Mas o que há de mais extraordinário neste velhíssimo truque e neste enraizado tique é que a maior parte das vezes ele parte precisamente dos órgãos de comunicação social que são sempre dos primeiros a protestar quando há alguém faz generalizações apressadas ou abusivas sobre todos os «media».
De experiência longamente feita, uma coisa eu sei : um «post» deste tipo jamais terá resposta decente por parte dos visados.


VÍTOR DIAS»

Al Kantara disse...

Caro Vítor Dias,

Fico contente por saber que há deputados que são assíduos e cumpridores. Neste meu post não encontrará qualquer generalização abusiva porque apenas me refiro aos factos ocorridos. Noutros de minha autoria poderá verificar que evito generalizações , não me coibindo todavia de expressar opinião livre sobre pessoas ou acontecimentos por pertencerem a este ou aquele quadrante político.
Resposta decente a este meu post seria por exemplo o Dr. Rangel demitir-se de líder parlamentar. Não custava muito e ficava bem na fotografia. E depois, se os deputados faltosos pudessem deixar de o ser, também ajudava a deixarmos de ter esta ideia, porventura errada, que a maioria dos deputados não ganha o pãozinho que come...

expressodalinha disse...

A outra interpretação possível para salvar a democracia, segundo VD, seria, com certeza, os deputados serem todos do PCP!

Anónimo disse...

Ai, que chatos, que são... foi assim, que tudo começou, estão sempre a embirrar com os camaradas. Parece que não querem ver.

Eu adoro o Camarada Vitor Dias, que escreveu a "peça" no seu tempo das cerejas, fui eu que fiz copy paste, entre aspas. Parecia-me adequado. Esqueci-me só de assinar: tânia.

Repararam? a comunicação social, pôs toda a oposição e o ps no mesmo saco? Ora, é uma aldrabice.

E, sim, o melhor era votarem PCP. Ainda têm dúvidas? Ai, é verdade, têm medo que o PCP entre pela casa dentro e fique com as pérolas da família. Buuuu, que medo.

Bom, eu não vou continuar com isto. Tenho andado muito bem disposta com a realização do melhor congresso de sempre!

Não percebi bem aquela apreciação ao discurso da Camarada Odete... Mais vale uma mulher como a Odete, do que aquelas múmias do BE, todas juntas. Já viram bem aquela bancada? Parece um convento, o vigário louçã e as matronas com vozes de soprano...

Al Kantara disse...

Eu estava a estranhar que o Vitor Dias se dignasse comentar neste blog...

Anónimo disse...

Ora, o camarada Vitor Dias gosta muito de si, de todos, pareceu-lhe que era o único capaz de fazer a transição.

Quanto ao alucinado, não há qualquer hipótese, mas no que a si diz respeito, há esperança.
Por isso, alcantarilha, fiquei eu, com a tarefa de o converter.

Estou um bocado triste, não foi ao avante, nem ao congresso... ainda tem uns deslizes, mas pelo menos, já não tem aqueles ataques anti-Cuba, valha-nos isso.

expressodalinha disse...

Viva a camarada Tânia! Um grande avante para ela.

Anónimo disse...

Expresso, comporte-se, já sabe, que enquanto não me esquecer da história do federalismo, não quero muita conversa...digamos que não é a minha pessoa preferida, neste momento.

Em relação à violência doméstica, este país é uma miséria.

A reforma do código penal deveria ter dado outras voltas...

(se bem que, por mim, não existiam prisões)

expressodalinha disse...

Snif... Lá vou parar à Sibéria.

Anónimo disse...

Não vale a pena, chorar sobre o leite derramado... vai ver, habitua-se e passa a chamar-se transiberiano (ah, ah, ah)

O alcantarilha tem dias em que acorda rebelde, encontra com cada adjectivo, pobres deputados da nação... com um eleitor destes, não se safam. Ainda gostava de saber, em quem é que votou nas últimas...foi na manela, não foi? e aí para a terra, o morales?