15 janeiro 2009

Vulcano, o deus do fogo

Parece que Vulcano, deus do fogo, era feio, muito feio. Já em pequeno, o pai Júpiter, horrorizado com a fealdade do petiz, lançou-o do olimpo abaixo. Como resultado, além de feio, ficou coxo. E com quem haveria de casar este pobre deus feio e coxo ? Nem mais nem menos que com Vénus que era um pedação de mau caminho que até doía só de olhar. Claro que um casamento assim só poderia dar para o torto. Vénus divertia-se, cruel, a pejar a sofrida testa de Vulcano com honestos pares de cornos que ao deus entristeciam e à deusa iam consolando. Indignado, conseguiu mesmo o infeliz deus apanhar em flagrante Vénus e Marte em deboche adúltero. De nada serviu, pois a Vénus tudo era perdoado e a Vulcano nenhuma reparação era devida, restando-lhe dedicar-se à oficina metalúrgica que lhe entretinha o desgosto.
Queria arranjar uma moral da história (até porque os meus conhecimentos de mitologia não passam muito disto...) mas confesso que não sou capaz . Uma desgraça nunca vem só, as mulheres bonitas e fogosas são uma carga de trabalhos ou o trabalho árduo faz esquecer os desgostos da vida ? Parece-me pobre e já batido. Retire o leitor a moral que mais lhe convenha. Afinal de contas, eu só quis escrever um texto sobre o fogo e acabei por arranjar lenha para me queimar...

18 comentários:

peri s.c. disse...

Fico aqui pensando se estes deuses e suas histórias malucas ( no caso, ardente ) existiram mesmo.

Tertúlia Virtual disse...

Arrisco uma NAVALHADA nesse comentário do Peri: Claro que existiram!

Obrigado Al Kantara pela sua ótima postagem nesta Tertulia!

Forte abraço

Só- Poesias e outros itens disse...

Muito boa escolha, em lembrar da mitologia, esse inconsciente coletivo que nos abarca.

bjs.

JU Gioli

Georgia disse...

hahahahahhahaha, adorei e estava super curiosa em saber como vc iria acabar com toda essa fogueira.

Mas ficou muito bom.

Francisco Castelo Branco disse...

estou como o peri s.c.

Será que existiram mesmo?

e é por eles que o fogo existe?

disse...

Adorei seu texto...didático e espirituoso.òtimo.Bj

António P. disse...

Bom dia Al-Kantar,
Publicidade emcapotada aos esquentadores ? :))
Mas a fábrica já não faliu ?
Agora a sério : gostei.
Um abraço

expressodalinha disse...

Consta lá pelo Olimpo que o problema do Vulcano era outro... Nada que não se ressolvesse hoje em dia com umas pastilhas! O Olimpo é uma lugar muito cusco! Ainda bem que moramos na Terra...

Chris disse...

rsrs, gostei da lenha que arrumaste pra se queimar... boa !
Gostei da menção a mitologia, diferente, interessante, termos tido postagens ligada ao fogo, de tão variadas formas, e gostei também da comparação da qualidade e talvez do fardo carregado da mulher fogosa e que não tenha freio no controle do fogo que nela há.

Abraços, gostei mucho

Chris

Jorge C. Reis disse...

(eheh)

Obrigado por me ter feito rir.

Moral: nunca te fies nas mulheres bonitas (rssss)

Señor R disse...

Parece que ser el dios del fuego no es garantía de que las chicas guapas te sean fieles. Por lo que se ve el fuego no lo puede todo :)

Saludos.

Dulcineia disse...

Caro Al kantara!
Deu para rir, rir , além de cultural...
Mas, permite-me discordar... isso das mulheres bonitas,fogosas e maridos "enfeitados"...
No fundo, no fundo mesmo, era falta de arte e engenho...
Pena, não termos a morada do vulcano... acho que não nos importaríamos de lhe enviar alguma literatura, vídeos e afins...
Pq, o último a rir é quem ri melhor... Assim, venus andaria de sorriso de orelha a orelha, feliz e saciada, marte com a auto estima em cacos, e o olimpo intrigado, com Artemis, Atena e outas deusas a tentarem testarem o vulcano. Até a virtuosa Hera se tentaria, rs
conclusão: para mulheres bonitas e fogosas, a informação é essencial, rs (claro q o inverso tb é válido)

Bento disse...

No seguimento da ironia do texto...a mulher fogosa é uma carga de trabalhos porque...dá a (Igniz)ção ao Vulcano...falando de esquentadores...claro!

roserouge disse...

O nosso Al Kantara sempre com aquele sentido de humor acutilante e corrosivo como só ele sabe! Belo texto, gostei, pequeno!

António Oliveira disse...

Vulcano nunca me inspirou confiança e a Vénus era uma interesseira. Só queria colares de pérolas e não dava nada de volta. Agora está claro. Andava enrolada com Marte. Podem todos ir para plutão que já nem planeta é, e nem direito tem a maiúscula.

Parabéns.

Dalva disse...

Mitologia sempre mexeu com o nosso imaginário.Excelente escolha para a participação na Tertúlia.

Abraços!

ery roberto disse...

Al Kantara, "as feias que me perdoem", já dizia Vinícius de Moraes. Já outro poeta menos solicitado cantava, "Esta é a vida que eu sempre quis / Eu sou cornudo, mas eu sou feliz".

No fundo, se pensar bem, o risco é eminente e inevitável, seja com a beleza ou com a falta dela.

Vulcano, então, foi apenas "mais um".

Vanessa disse...

Olá, esta é minha primeira participação na Tertúlia virtual e estou adorando passear de blog em blog vendo como as pessoas se expressam das mais variadas formas. Muito rico este projeto! Parabéns pelo post.