12 junho 2008

Chapeau...

Uma chapelada aqui ao ministro Mário Lino que pode ser uma nódoa a falar em público mas provou que quando se pôe a negociar não brinca em serviço. É verdade que aproveitou o desgaste que alguns dias de paralisação causou a pequenas e frágeis empresas de transporte, que lhes acenou com uns benefícios que vamos lá a ver como vai cumprir, mas a verdade é que, no mesmo dia em que se viu na televisão o Mira Amaral, na plenitude do exercício do legítimo direito de ser grunho, a reclamar cargas da polícia de choque sobre os "rebeldes", conseguiu este ministro tão vilipendiado em outras situações, pôr fim à paralisação ilegal das empresas de transporte para alívio dos portugueses já a anteciparem prateleiras de supermercado vazias. Ora, parecendo que não, estes pequenos grandes sucessos valem quase mais, eleitoralmente, que a baixa do IVA para os dez por cento. Por isso, fez a Dra. Manuela Ferreira Leite muito bem em estar caladinha a mudar as fraldas à netinha recém-nascida. É que agora já pode dizer que, se fosse governo, teria feito ainda melhor...

6 comentários:

Tiago Moreira Ramalho disse...

perdoe-me que discorde. na minha opinião, com criminosos lida-se de outra maneira. tal como o próprio al kantara diz, os protestos foram ilegais, por conseguinte, deviam ser punidos como crime. isto de negociar com criminosos é um péssimo precedente. Se eu roubar uma maçã, vêm negociar comigo que parte da maçã eu devo devolver?

Al Kantara disse...

Caro Tiago, uma crise como a que se estava a montar dificilmente se resolve sem alguma negociação. A rigidez de princípios na reposição da legalidade já deu alguns frutos bem amargos em outros buzinões e bloqueios. Além disso, os movimentos de massa muitas vezes deixam de ser controlados por quem os iniciou, entram em roda livre e as consequências são absolutamente imprevisíveis e desproporcionadas. Por isso, talvez seja aceitável negociar qual a parte da maçã que podem devolver aqueles que, para além de terem roubado a maçã, podem, já sem responsabilidade directa, dar cabo do pomar...

PS - Já agora, não me peça desculpa de cada vez que discorda das minhas opiniões. Aqui o debate é absolutamente livre e a discordância é até desejável...

expressodalinha disse...

Tb. sou a favor da negociação. A porrada só leva a mais porrada!

Tiago Moreira Ramalho disse...

Mas aí é que está o problema! A crise devia ter acabado no momento em que começou. Isto nao foi propriamente uma ponte do Cavaco... eram grupos de terror brutais! Houve um morto! Qual é o limite? Negoceia-se constantemente com criminosos por forma a dar-lhes o que eles querem... Qualquer dia temos uma máfia instalada! vamos la negociar com os mafiosos não vá os meninos estragarem o pomar aqui dos tugas. Isto tudo mostrou a fragilidade das instituições democráticas do nosso país. Serei o primeiro a aplaudir de pé o Eng. Sócrates caso haja melhorias na resposta a este tipo de coisa porque neste momento tenho medo do que possa vir por ai. Hoje são os camionistas, amanhã os agricultores.. quem vem a seguir? Eu não preciso de subsídios para a gasolina porque nao tenho carro... mas há muitos que precisam... que é que se vai fazer? meter todos aqueles que têm carro ou que andam de transportes públicos (o que deve prefazer uns 100% digo eu) na rua a apedrejarem-se uns aos outros até que os abastecimentos sejam comparticipados? muito francamente não gosto de dizer isto, mas para mim, todos aqueles que agiram de forma criminosa deveriam ser punidos!

P.S.: não pedirei mais, não... é uma convenção, força do hábito

Tiago Moreira Ramalho disse...

Tive ideia melhor! vamos criar piquetes de protesto à porta de cada gasolineira com uma tableta a dizer: "pode ir a vontade... eu nao me responsabilizo!". Pode ser que assim a amiga Galp e a amiga BP baixem o preçozinho hein

expressodalinha disse...

Em Espanha a polícia interveio logo e, só por causa disso, houve logo mais violência e mais mortos. Mas o governo deve ter ficado aliviado: fez o que lhe competia, se morreram foi porque não acataram a autoridade!