13 dezembro 2007

Nasceu o Tratado de Lisboa

Nasceu hoje com pompa, circunstância, eléctricos, museu dos Coches e pastéis de Belém, o Tratado de Lisboa. Ao que parece, deveríamos todos sentirmo-nos inundados por uma sensação de felicidade pela consecussão de um objectivo europeu. Talvez seja o mau feitio que me impede essa exaltação beatífica do espírito de Lisboa (uma grande invenção do Sócrates, essa do "espírito de Lisboa") mas a verdade é que não faço ideia da substância do documento hoje assinado. É verdade que não tenho feito um grande esforço para me informar mas penso que esse é o estado de espírito da maioria dos portugueses. De uma coisa estou certo : os 500.000 desempregados, os dois milhões de pobres e os milhões da classe média que estão rapidamente a proletarizar não vão ser chamados a ratificar o documento. Tal será feito pelos 230 deputados que sabem muito bem o que é melhor para nós...

4 comentários:

expressodalinha disse...

Aliás é para isso que lhes pagamos. Para saberem as coisas por nós!

Al Kantara disse...

Mas pagamos muito pouco para aquilo que sabem...

astracan disse...

al kantara, permite-me a dúvida... não será que o que querias dizer era "mas pagamos muito para o pouco que sabem..."? aguardo teu esclarecimento.
Quanto ao Tratado... deconheço o texto, por completo, mas nutro uma desconfiança sistemática por aquela maralha que esteve nos Jerónimos de caneta na mão... feitios...

Al Kantara disse...

Para o que fazem, estão claramente mais que bem pagos. Mas para o que sabem ou dizem saber...