27 novembro 2009

Quando nem os ricos pagam o que devem...

Diz que este senhor é um homem poderosíssimo e um dos mais ricos do mundo. É o dono do Dubai que é assim um país das maravilhas com ilhas artificiais em forma de palmeira e hotéis de um luxo arábico que encanta os deslumbrados bimbos super-ricos do mundo que lá compraram propriedades quando estava na moda.
Diz também que o Dubai cresceu economicamente na área do real estate de uma forma alucinante devido aos dinheiros do petróleo e à visão empresarial deste senhor e dos seus amigos muito entrepeneurs. Não sei se esse crescimento terá alguma coisa a ver com o facto de os trabalhadores da construção civil serem milhares de semi-escravos asiáticos que trabalham doze horas por dia por 3,8 euros de salário diário em condições tais que é frequente acontecerem mortes por exaustão e excesso de calor.
Agora vem o senhor Mohammed bin rashid al maktoum (é assim que se chama a figura...) dizer que a crise quando chega é para todos e que os credores dos 57 biliões de dólares de dívida de uma das suas empresas têm de ter paciência durante seis meses porque dinheiro para pagar o que deve é coisa que escasseia, o que é rigorosamente verdade porque isto de ser rico dá muita despesa. É por isso que há quem diga, muito prosaicamente, que o Dubai está falido.
Os mercados europeus estremecem com a notícia e cheira-me que ainda vamos todos ajudar a pagar as mordomias faraónicas do tal senhor Maktoum e dos seus preclaros e ricos colaboradores mais chegados. Não nos bastava o BPN, um dia destes ainda temos que levar com o Mohammed...

4 comentários:

António P. disse...

Caçma Al Kantara,
A Islãndia também faliu e ainda não foi ao fundo.
O Dubai nem ilha é.
Porta-te mal e bom fim de semana

francis disse...

sempre achei aquilo muito estranho...
agora é vender ao desbarato. para já consta que puseram o cirque du soleil à venda...nem sabia que era deles.

Juanna Figueiredo disse...

Ainda bem que não sou a única a dever e não negar.
Aqui no Brasil isso é normal!

kleber muniz disse...

vivo tao sozinha que as vezes,muitas daz vezes gosto de olhar a cultura deste pais e ai entao que a minha angustia e solidao vai embora DEUS abençoe a voces.