16 junho 2009

Na microsoft só microsoftês...

Na Microsoft, os funcionários estão proibidos de usarem equipamento cujo software não seja produzido pela empresa. Assim, iphones e outros telemóveis da concorrência estão vedados aos funcionários-súbditos de Steve Ballmer. É como se quem trabalhasse no McDonalds não pudesse comer cozido à portuguesa...
Magnânima como é, a empresa já anunciou que vai dispensar desta obrigação 5.000 empregados que, até 2010, vão poder usar os telemóveis que bem entenderem : é que vão ser despedidos que a crise, quando nasce, é para todos e o Ballmer, nestas coisas, é um democrata...

8 comentários:

expressodalinha disse...

Por acaso concordo com o uso dos eq. da marca. Os despedimentos é outra coisa.

Al Kantara disse...

Se concordar com o uso dos equipamentos da marca significa proibir o uso de outros equipamentos, temos um pequeno problema. Uma minudência chamada liberdade...

expressodalinha disse...

Não porque é dentro da empresa que faz produtos daqueles e provavelmente dá condições muito especiais para a sua aquisição. De qq forma é uma questão menor no meio desta confusão toda.

expressodalinha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Al Kantara disse...

A confusão pode ser grande mas esta não é uma questão menor. Coloca a questão da legitimidade das empresas imporem a quem lhes presta serviço restrições ao nível do uso de objectos PESSOAIS, seja dentro ou fora das instalações da empresa. Já para não falar do facto de, quando convém, as grandes corporações usarem aquele estafado conceito de "somos uma grande família" para, à primeira dificuldade, despedirem uma série de "primos"...

roserouge disse...

Estás carregado de razão, ó amigo Al. Essa filosofia organizacional de empresa tipo "somo todos uma grande família" é um nojo de cima abaixo. Como nunca me dediquei a esse tipo de "família" aos fins de semana em almoços e festinhas de merda como eles queriam, saíu-me um dia a bola preta. Os cabrões (americanos, claro) resolveram fazer uma limpeza étnica no meu departamento e fomos cinco prá rua no mesmo dia. Até os meus dois chefes. Têm um apego muito grande à família, estes gajos... puta que os pariu!

Anónimo disse...

Pois tem razão Mas um exemplo quem vende produtos da marca coca cola fica proibido de vender outros e então é assim aqui nos Açores temos a Kima de maracujá que é no genero a melhor do mundo mas 'obrigam-nos a beber fanta senão levam a arca e todos os produtos asssociados... Sabia desta?
Também fiz um estágio já lá vão uns anos em Alcains em que a empresa ficava com uma quantidade substancial do ordenado das funcionarias porque lhes oferecia a valores bons uma tralha de cristais que elas não precisavam mas que a empresa produzia.
Pois!

Al Kantara disse...

Caro anónimo, essa da coca-cola, bem conversada, pode classificar-se de abuso de posição dominante, o que poderia dar umas coimazitas interessantes se a autoridade da concorrência não fosse a tristeza que é...
Quanto às empresas que pagam em géneros, estamos conversados...